UMA CENA DE AMOR PARA FRANCIS BACON RETORNA AO AMBIENTE VIRTUAL COM APRESENTAÇÕES GRATUITAS

SOBRE O EVENTO

Início: 13/02/2021 20:00
Fim: 07/03/2021 20:00
Onde: ON LINE

Espetáculo do Manás Laboratório de Dramaturgia, que acontece

totalmente on-line e em tempo real, entra em nova fase de apresentações. Montagem mostra acontecimentos da vida

de uma artista plástica que, entre delírios, memórias e realidade, reflete sobre um relacionamento abusivo

 

 

Após apresentações ao longo de 2020, o espetáculo UMA CENA DE AMOR PARA FRANCIS BACON, primeiro trabalho do Manás Laboratório de Dramaturgia, volta para mais uma temporada no ambiente virtual. Com sessões gratuitas, viabilizadas pelo Proac Expresso e Lei Aldir Blanc, a montagem – dramaturgia de Fernanda Zancopé, que assina a direção ao lado de Dante Passarelli – reestreia dia 13 de fevereiro, sábado, às 20h, pelo canal do YouTube do próprio coletivo.

 

Apresentado remotamente, através da plataforma Zoom, com transmissão simultânea ao vivo pelo YouTube, a nova temporada de UMA CENA DE AMOR PARA FRANCIS BACON apresenta algumas novidades. Emerson Danesi, que integrou o CPT – Centro de Pesquisa Teatral do Sesc São Paulo de 1998 a 2019, integra a montagem na função de provocador de atuação e Alexandre Martins assina a produção musical e composições originais.

 

Para Dante Passarelli, que também está em cena ao lado da própria dramaturga Fernanda Zancopé e dos atores Leonardo Silva, Luiza Válio e Pedro Ribeiro, o espetáculo foi ganhando camadas ao longo das apresentações do ano passado, e culminou com o convite para participar da Virada Cultural SP. “A ideia inicial não era termos uma construção processual da peça durante as temporadas, mas aconteceu. Agora, a chegada do Emerson e do Alexandre fortalece a montagem como um todo”, explica ele.

 

Memória, realidade e imaginação

Dedicado a todas as mulheres artistas do mundo, UMA CENA DE AMOR PARA FRANCIS BACON, apresenta ao público uma artista plástica, que coloca em xeque o valor dos acontecimentos de forma a transformar sua própria vida em obra de arte. Nesta espécie de tragédia do mundo mercantil, misturam-se as barreiras entre memória, realidade e imaginação. Assim, a impossibilidade de diálogo entre homem e mulher, dadas as suas lógicas contraditórias, causam consequências irreversíveis.

 

Outro ponto importante que a dramaturgia aponta é para o chamado gaslighting, uma forma de abuso psicológico em que informações são distorcidas e seletivamente omitidas, com o objetivo de favorecer o abusador ou fazer a vítima duvidar de sua própria sanidade. “Como trabalhamos com planos diferentes – memória, realidade e imaginação – desdobramos as personagens que são interpretadas simultaneamente por atores e atrizes diferentes. Os recursos do Zoom reforçaram as inversões e manipulações”, explica Fernanda Zancopé.

 

“Isso está relacionado ao Francis Bacon, pintor anglo-irlandês. As obras dele mostram humanos, mas distorcidos. Essa distorção aparece no nosso espetáculo”, complementa Passarelli.

 

Fernanda utilizou muitas obras de Bacon durante o processo de escrita do texto. Suas obras também influenciaram o trabalho de composição das personagens. Francis Bacon é, portanto, um componente chave que liga todos os elementos do espetáculo, desde o título.

 

Novas possibilidades de atuação

UMA CENA DE AMOR PARA FRANCIS BACON estava em fase de ensaio quando a pandemia da Covid-19 interrompeu os encontros físicos. O processo, mantido à distância via Zoom, acabou incorporando elementos do meio digital de tal forma que o espetáculo resultou em mais do que uma adaptação do teatro presencial para uma plataforma virtual: é uma obra criada na intersecção das duas linguagens. O primeiro ensaio aberto aconteceu em maio de 2020, e esteve entre as primeiras experiências de grupos no ambiente virtual.

 

De acordo com Fernanda Zancopé a ideia de levar a peça para o ambiente online trouxe novas perspectivas para todos da equipe. “Começamos a criar novas ferramentas e percebemos que o teatro digital mescla um pouco do audiovisual com o ambiente das redes sociais. Durante os ensaios fomos percebendo novas possiblidades de atuação, já que muitas escolhas soavam teatrais demais para uma apresentação virtual”, reflete ela.

 

Debates

A partir da segunda semana da temporada, uma série de debates com elenco e convidados acontece aos domingos, após as apresentações. No dia 21 de fevereiro a participação especial fica por conta de Mayumi Ilari, Doutora em Estudos Literários pela UNICAMP e docente na graduação e pós-graduação no curso de Letras da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), onde coordena grupo de estudos sobre teatro e sociedade na cena contemporânea. A conversa será sobre avanços e limites entre a experiência virtual do teatro, dramaturgia contemporânea e a sociedade.

 

Já no dia 28 de fevereiro, Emerson Danesi aborda o tema atuação e sensibilidade hoje. Ator, diretor teatral, produtor da Cia Teatral Macunaíma, foi professor de corpo, voz, teorias e interpretação no CPTzinho – Curso de Introdução ao Método de Ator do Centro de Pesquisa Teatral do SESC Consolação de 1998 a 2019. Trabalhou com o diretor Antunes Filho desde 1996. Comum bate-papo sobre dramaturgia e feminismo, a partir do espetáculo assistido, o ciclo se encerra dia 7 de março com a presença de Isa Kopelman, atriz, diretora e dramaturga, formada pela Escola de Arte Dramática (EAD) de São Paulo. Mestre e Doutora em Artes pela UNICAMP, atualmente é docente de graduação e pós graduação da Universidade Estadual de Campinas no curso de Artes Cênicas.

 

Sobre o Manás Laboratório de Dramaturgia

Grupo de estudos teatrais cuja semente surgiu nos intervalos das aulas com Silvia Gomez, no CPTzinho de Antunes Filho. Depois de formados no CPT, o desejo de criar dramaturgia contemporânea uniu os colegas de turma Fernanda Zancopé e Dante Passarelli durante meses de pesquisa e exercícios no ano de 2019. O primeiro texto encenado pelo Manás foi Uma Cena de Amor para Francis Bacon. Além disso, Passarelli e Zancopé realizaram as séries de lives no Instagram Compartilhando a Tela, sobre temas do teatro digital, e Compondo Sem Filtro, sobre dramaturgia contemporânea. Instagram e Facebook: @dramaturgia.manas.

 

Para roteiro:

 

UMA CENA DE AMOR PARA FRANCIS BACON – Estreia dia 13 de fevereiro, sábado, às 20h, no canal do YouTube do Manás Laboratório de Dramaturgia (http://bit.ly/manaslab). Autoria – Fernanda Zancopé. Direção – Dante Passarelli e Fernanda Zancopé. Provocação de Atuação  Emerson Danesi. Elenco – Leonardo Silva, Luiza Válio, Pedro Ribeiro, Fernanda Zancopé e Dante Passarelli. Preparação Corporal e Direção de Movimento – Bia Miranda. Composições Originais e Produção Musical – Alexandre Martins. Consultoria sobre Figurino e Cenário – Padu Cecconello. Assessoria de Imprensa – Nossa Senhora da Pauta. Realização da Temporada – Manás Laboratório de Dramaturgia, Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, ProAC, Governo Federal e Lei Aldir Blanc. Temporada – Até 7 de março, sábados e domingos, às 20h. Duração – 75 minutos. Classificação Etária – 16 anos. GRÁTIS.

 

Debates após a apresentação do espetáculo:

 

Dia 21 de fevereiro, domingo

Com Mayumi Ilari – Avanços e limites entre a experiência virtual do teatro, dramaturgia contemporânea e a sociedade.

 

Dia 28 de fevereiro, domingo

Com Emerson Danesi – Atuação e sensibilidade hoje.

 

Dia 7 de março, domingo

Com Isa Kopelman – dramaturgia e feminismo, a partir do espetáculo UMA CENA DE AMOR PARA FRANCIS BACON.